quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Celebrando a Vida

Nasci no dia 19/12/88. Ontem, completei 24 aninhos!
Sou uma pessoa que ama celebrar o aniversário, pois entendo que é uma dádiva, um presente que Deus nos dá cada dia que vivemos nessa terra. E poder relembrar Sua fidelidade e sustento todo ano é uma benção!

Sei que para muitos o dia do aniversário pode ser sinônimo de algo triste, deprimente... talvez porque não quer se lembrar de que está ficando mais velho, ou porque nesse dia que deveria ser só de alegria, em algum momento foi justo o dia em que viveu alguma grande desgraça, algum tipo de perda ou dor. Quero dizer pra essas pessoas que o nosso Deus é um Deus que cura lembranças ruins! Ele pode trocar sua lembrança de dor por uma de grande alegria e regozijo, assim como fez com Pedro, quando Jesus o curou de sua lembrança de O ter negado três vezes, por outra onde reafirmou o seu amor pelo Mestre também três vezes. Não há nada difícil demais para o nosso Deus!

E para aqueles que têm medo de ficar mais velhos, deixo os seguintes versículos:

"Mesmo na sua velhice, quando tiverem cabelos brancos, sou eu aquele, aquele que os susterá. Eu os fiz e eu os levarei; eu os susterei e eu os salvarei." (Isaías 46:4)


"Mesmo na velhice darão fruto, permanecerão viçosos e verdejantes" (Salmos 92:14)


"Não me rejeites na minha velhice; não me abandones quando se vão as minhas forças." (Salmos 71:9)

Amém?! O Deus da minha juventude será o Deus da minha velhice! Os jovens terão visões, mas os velhos sonharão!!! (Joel 2.28)
Eu posso mudar com o tempo, mas Deus sempre permanecerá o mesmo.
Por isso, não tenha medo de contar a sua idade, não se desanime quando começarem a aparecer as rugas e fios brancos, não tenha receio de celebrar com muita alegria com amigos e família cada ano de vida que o Senhor te conceder, pois é um presente dos céus... A vida é um dom de Deus!

Forte abraço aos meus queridos amigos, familiares e conhecidos que celebraram comigo os meus 24 aninhos de vida! Vou repetir isso todo ano até Jesus resolver que meu propósito nesta terra foi cumprido... e então, celebrarei na vida eterna... eternamente!!!


sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Reflexão de uma criança sobre adoração

Estou aqui no meu quartinho, na parte externa da minha casa, estudando e fazendo meu trabalho de conclusão do seminário. Já estava aqui há bastante tempo quando, de repente, chega na janela a minha irmãzinha Daniela de 5 anos e pergunta: 

Dani: Su, vc nunca mais vai sair daí?
Eu: É que meu trabalho é muito grandão, por isso demora muito, pois eu tenho que escrever muito!
Dani: Mas você não pode ficar aí, vc vai sentir frio, vai querer entrar, vai querer ir pra cama...
Eu: Vamos combinar o seguinte... Na hora do Carrossel eu entro com você, tá bom assim?! (risos)
(pausa)
Dani: Su, sobre o que vc está escrevendo?
Eu: Muita coisa! (Respondi tentando ser superficial, achando que uma garotinha de cinco anos não entenderia o termo "Teologia da Adoração")
Dani: Mas sobre o quê?
Eu: Sobre adoração.
Dani: Hummm... Eu sei tudo sobre essa tarefa aí...
Eu: Sério Dani? Então, por favor, me diga o que é adoração...
Dani: Eu vi lá no culto sobre agradecer... Adoração é louvar a Jesus, é não fazer coisa errada, pois se fazer coisa errada aí é confusão, e não adoração.
Eu: Hummm... muito obrigada por me ajudar na minha tarefa. Vou escrever o que você falou!


Minha irmãzinha, com apenas cinco anos de idade, já compreendeu que adoração não tem nada a ver com música, mas sim com o nosso estilo de vida em agradar a Deus em todas as nossas atitudes, pensamentos e escolhas.
E quanto a nós? Temos entendido isso?

Fica aí a reflexão de Daniela.


sábado, 3 de novembro de 2012

Há uma história...

Tudo começou com a paixão de uma adolescente por ler e escrever. O blog "Uma Geração de Adoradores" nasceu no ano de 2004, com o objetivo de compartilhar e traduzir em palavras a maior e melhor experiência que um ser humano pode ter na vida: andar com Deus.
Conheci Jesus quando eu ainda era uma criança. O Seu amor me conquistou de primeira, e me levou a um caminho de cura onde me encontrei e compreendi o propósito da minha vida. De fato fui amarrada por Suas cordas de amor, e desde então, nunca mais me soltei!
Fui uma daquelas meninas que sempre gostava de manter um diário. E quando conheci o mundo dos blogs, não pensei duas vezes em me envolver. Juntando minha paixão por ler e escrever, e a minha paixão ainda maior por Jesus, decidi que construiria um blog para expressar o que eu vivia na minha própria intimidade com Ele. Nessa aventura acabei aprendendo sozinha a mexer com template, edição de imagens, código html e o blog foi, aos poucos, tomando forma e crescendo. Sempre que eu vivia uma situação onde eu aprendia algo específico com Deus, corria para o computador e registrava em forma de texto. Comecei então a receber diversos comentários de leitores que diziam o quanto haviam sido edificados e inspirados através de minhas experiências descritas no blog. Toda vez que eu lia um comentário, eu mesma era motivada a não parar de escrever. Lembro-me de orar diversas vezes consagrando o blog ao Senhor, reconhecendo que Ele o havia separado como um instrumento em Suas mãos para inspirar vidas.
No ano de 2007, infelizmente o servidor onde o meu blog estava hospedado deu algum problema que eu o perdi pra sempre. Perdi três anos de textos, experiências e vivências registradas. Quem tem o costume de manter diários, sabe o quanto isso dói! É como se uma parte de nossa história, ou pelo menos suas lembranças, tivessem sido rasgadas e queimadas! Mas decidi construir o blog outra vez, em outro servidor (o meu atual). E hoje, entendo que essa mudança marcou uma nova etapa de minha vida com Deus. Afinal, Ele é especialista em fazer novas todas as coisas, além de sempre fazer as circunstâncias cooperarem para o nosso bem!
Novas... Muito novas experiências vieram depois disso. Novos textos, novos estilos de escrita, novos templates... enfim, uma nova compreensão da minha caminhada com Deus.
Costumava meditar muito no por quê o blog se chamava "Uma Geração de Adoradores". Confesso que pensei seriamente em mudar esse título várias vezes, porém, nunca senti paz nisso. Compreendi que este nome representava o que Deus queria ministrar e fazer na minha geração: levantar verdadeiros adoradores. Isso não tem nada a ver com música ou artes, mas remete ao nosso relacionamento com Deus. Ele quer ter intimidade conosco! E os verdadeiros adoradores são aqueles que andam com Ele. E o que foi revolucionário em minha vida foi aprender que ter intimidade com Deus é muito simples! Andar com o Altíssimo é reconhecer Sua presença em todo o tempo e em todo lugar, onde quer que a gente esteja. Meus textos mais profundos a marcantes pra mim nasceram de experiências simples do meu dia-a-dia, que se tornaram surpreendentes pelo simples fato de que Jesus estava lá, como por exemplo quando eu olhei para um ypê rosa e entendi que Deus tinha criado aquela árvore pensando em mim. Quantos textos já escrevi sobre o ypê rosa! Perdi as contas! Algo tão corriqueiro da vida que se tornou um marco pra mim, pois teve um toque da presença de Deus. Isso é andar com Ele! É assim que desenvolvemos nossa intimidade com Ele... deixando-O fazer parte do nosso dia-a-dia, mesmo nas coisas mais simples e corriqueiras, pois Ele se importa e tem prazer de andar conosco!
O blog Uma Geração de Adoradores existe pra fazer um convite a todos os sedentos: Venham e bebam da água da vida, da fonte eterna que é Jesus! Venham, e não tenham medo, pois andar em intimidade com o nosso Criador é o propósito da vida de todo ser humano. Você nasceu pra ser um adorador do Deus vivo!

"Virá o tempo, e de fato já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, pois são esses adoradores que o Pai procura." (Jo 4.23). 

Hoje, com mais de 20.000 visitas desde o novo começo em 2007, quero agradecer a todos os queridos leitores, novos ou antigos, aos que ficaram e aos que apenas passaram... Obrigada! Minha oração é que vocês, assim como eu, escolham fazer parte dessa geração que o Pai procura. Fomos criados pra Ele, e só seremos satisfeitos ao caminharmos em intimidade com Ele!

No infalível amor do Pai,

Suelen Migowski

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Um Romance na Chuva


Ao sair pra caminhar no findar da tarde, fui surpreendida por uma deliciosa chuvinha durante o percurso. Cada gotícula que caía em meu rosto e braços me davam a maravilhosa sensação de liberdade e alívio do calor característico dessa época em minha cidade: o horário de verão.
Minhas caminhadas normalmente se tornam verdadeiros encontros e conversas com Deus. E dessa vez não foi diferente.
Enquanto a chuva caía e aumentava, meu coração se abria para ouvir e meditar no que estava acontecendo ao meu redor, sem perder o ritmo da caminhada. Deus sabe muito bem como chamar a minha atenção. E quando Ele usa a natureza pra falar comigo, quase sempre a experiência termina numa música, poema ou um texto como este. Sou inspirada pelas coisas criadas! Consigo conhecer um pouco mais do caráter do Pai através delas. É como um romance entre eu e Ele. Eu sentia a chuva e não conseguia parar de agradecer. Olhava para os carros na avenida ao lado e sentia pena dos protegidos naquelas "latas" que não podiam experimentar o mesmo que eu! Continuei minha caminhada, passando por poucas pessoas, no máximo cinco, que também estavam se exercitando naquele percurso quando a chuva veio. De repente vi-me como se estivesse na jornada da vida. Aquela chuva representava as ocasiões de tempestade que volta e meia nos assolam. Comecei a entender que eu tinha uma escolha: ou eu veria a chuva como um problema, contratempo, empecilho e motivo de medo, ou eu simplesmente seria grata, tiraria proveito dela e seria... feliz!
Decidi pela segunda opção. Senti-me livre! Algumas pessoas eu não estava vendo mais. Umas duas ainda passavam por mim no percurso. "Eles estão desistindo", pensei. "Talvez não querem pegar um resfriado ou estão com medo dos trovões!".
Mais tarde a chuva começou a ficar grossa e pesada. O que antes era capaz de apenas me refrescar, agora estava me encharcando. E o pior... comecei a sentir o peso das roupas, tênis e meias ensopadas que aumentavam a dificuldade da caminhada. Mais uma vez meus pensamentos remeteram aos obstáculos que enfrentamos na vida. Tem hora que o "negócio" fica mesmo difícil. Sentimos o "peso" da caminhada, e pensamos em desistir. Àquela altura eu só via mais uma pessoa correndo no percurso, e um pouco de tempo depois eu já estava sozinha. Confesso que nessa hora fiquei preocupada... Já era noite, a chuva tinha aumentado, eu estava sozinha, e volta e meia pensava no conforto da minha casa e sentia saudade. Porém, continuei caminhando no meu diálogo com Jesus. Notei que quando eu focava Nele, todo o meu medo ia embora junto com a vontade de estar num lugar mais confortável. Ali era só nós dois, e cheguei à conclusão que nada mais me faltava! Quando eu me concentrava Nele, a chuva forte, a solidão e o peso da caminhada não eram mais motivo de preocupação, mas sim de gratidão! Mais uma vez a sensação de liberdade me envolveu e me fez refletir: "Quando encaramos as dificuldades da vida da maneira correta, focando em Jesus, não ficamos presos aos obstáculos, temerosos sobre o que pode acontecer. Estar com o Amado faz com que tudo o mais perca a importância, e vivemos na liberdade do Seu amor que expulsa o medo!"
Uau! Eu poderia até correr e dançar naquela chuva agora! O meu Amado, andando do meu lado, é tudo o que preciso pra viver. Ele é suficiente!
Digo então pra mim mesma: Da próxima vez que você passar por uma "chuva" na vida, concentre-se em Quem está caminhando contigo, seja grata, tire proveito dela. Pois com a presença do Amado nada vai te faltar. E mesmo que essa "chuva" se torne cada vez mais difícil e pesada, não desista... pois com Ele, até uma "tempestade" se torna um lindo encontro de amor!

Quem nunca quis viver um romance na chuva? Hoje eu vivi! :-)

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Nova Integrante do Blog

Conheci a Andrezza Guerino numa das épocas mais marcantes de nossas vidas: o CTMDT (Centro de Treinamento Ministerial Diante do Trono). Fomos da mesma turma no curso de "Louvor e Adoração" e tive a honra de passar dois anos da minha vida com ela, em 2008 e 2009.
A Andrezza (ou "Dessa", como a chamo carinhosamente) sempre demonstrou ter um talento especial para escrever. Lembro-me com carinho das diversas vezes que Deus a usou para nos abençoar, exortar e edificar através de seus textos, músicas e poemas. Pra quem não sabe, a letra da música "Ouço Tua Voz" do CD Não Haverá Limites é de composição dela, fruto de uma experiência com Deus em seu secreto.
Através de uma professora de teologia muito querida nossa, recebemos uma palavra de que ainda escreveríamos um livro juntas. Guardamos e comentamos sobre este sonho por várias vezes, sem saber ao certo como e quando isso iria acontecer. Três anos se passaram, e ontem, num encontro não planejado no Facebook, começamos a falar sobre este assunto. E então surgiu uma ideia em meu coração que me deixou muito contente: "Quero te convidar pra ser uma das escritoras em meu blog!". Prontamente e com a mesma alegria ela aceitou! Ficamos tão impressionadas com a alegria e paz que nos envolveu naquele momento! Reconhecemos que Deus estava nisso, nos conduzindo para um novo tempo em nossas vidas como parceiras neste ministério/blog, que é o início do cumprimento da promessa que o Senhor fez a nós um dia.
Assim, é com muita honra, alegria e gratidão que apresento a vocês a nova escritora do blog "Uma Geração de Adoradores": Andrezza Guerino.
Sejam abençoados, ministrados, exortados, tocados e inspirados pela vida dessa minha preciosa amiga e mulher de Deus!

Dessa, seja bem vinda!!!


quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Ontem Menina, Hoje Mulher.


(Suelen Migowski)

É muito bom ser criança. É tão bom que muitas vezes soltamos aquela famosa frase suspirando: "Ah! Como eu queria ser criança outra vez!". Normalmente declaramos isso expressando um desejo de escapar das responsabilidades, decisões, correria e até mesmo certos sofrimentos e dificuldades que fazem parte da vida adulta. Mas nos esquecemos que, em cada faixa etária, vivemos os nossos próprios conflitos pessoais: como um amiguinho que não queria mais ser nosso amiguinho; como quando fizemos algo de errado e tivemos que enfrentar aquele momento tenso em saber que levaríamos uma palmada de disciplina dos nossos pais. Talvez hoje, depois de crescidos, essas situações não nos assustem mais, afinal, amadurecemos. "Ah! Se todo problema da minha vida fosse levar uma palmada dos pais!", pensamos.  No entanto, não era assim que sentíamos na época. Pra nós, parecia ser algo muito grande como o fim do mundo, pois era um problema do nosso tamanho.
Quando crescemos, as nossas experiências também crescem. De acordo com que vamos enfrentando e rompendo obstáculos na vida, coisas maiores vêm ao nosso encontro que nos dá alegria, sentimento de realização, cumprimento de sonhos... Mas muitas vezes também são situações que nos causam tensão, medo e ansiedade, da mesma maneira que sentíamos dentro dos nossos conflitos de infância.
Admiramos a dependência e pureza do coração de uma criança, e muitos adultos passam um bom tempo de suas vidas tentando resgatar essas características. De fato, é impossível voltarmos a depender dos nossos pais como antigamente. Hoje, já podemos tomar banho e comer sozinhos! Faz parte da vida aprendermos a andar com nossas próprias pernas. Se isso não acontecer, algo provavelmente está errado. O natural de tudo o que tem vida é que cresça e se desenvolva. Mas tem uma faceta da dependência que todo ser humano precisa pra viver bem, independente da idade. E essa é a dependência de Deus.
Depender Daquele que nos criou exige romper com o nosso orgulho adulto de que podemos ser, acontecer e fazer qualquer coisa com nossos próprios braços, quando na verdade não poderíamos nem respirar se Ele não nos desse o fôlego de vida! Essa faceta da dependência é mais do que saudável: é necessária para se viver plenamente; pois assim como um inventor sabe muito bem como a sua invenção funciona melhor e para o que ela serve, o nosso Criador sabe como "funcionamos" melhor, e só conseguiremos descobrir qual o propósito da nossa vida se nos voltarmos para Ele em submissão e dependência.
Uma vez ouvi um documentário sobre uma experiência que fizeram com algumas crianças, tentando mostrar o valor de se impor limites. Eles colocaram um grupo de crianças para brincar num bosque aberto, sem cercas, sem limites... Poderiam fazer o que quisessem. Mas aquelas crianças se juntaram em um lugarzinho só, quase que em círculo, e não saíam de lá. Limitaram-se em brincar somente ali. Depois, novamente colocaram essas crianças para brincarem juntas num lugar amplo também, porém com uma cerca ao redor. Aquelas crianças corriam pra lá e pra cá, hora brincavam num lugar, hora no outro... Pareciam verdadeiramente livres, leves e soltas! Essa experiência trouxe a conclusão de que colocar "limites", traz liberdade e segurança.
É assim que funciona a nossa dependência de Deus. Decidir confiar a nossa vida a Ele e nos submeter aos Seus "limites", nos traz a liberdade e segurança de que tanto ansiamos e buscamos inutilmente em outros lugares. Depender e confiar em Deus para guiar as nossas vidas forja o nosso coração em Sua pureza e integridade, e podemos ser como crianças outra vez! Gosto de pontuar que ser criança não é o mesmo que ser infantil. A infantilidade, ou seja, maneira de pensar e agir como criança, precisa passar com a idade. "Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino." (1 Coríntios 13:11). Mas o coração de criança, ou seja, a dependência, pureza, facilidade de perdoar, a espontaneidade e etc, são virtudes que podemos e devemos cultivar por toda a nossa vida!
Enfim, ser criança é bom, muito bom. Mas crescer e amadurecer é melhor ainda! Há coisas belas e maiores da vida que só podemos experimentar com a maturidade e experiência. Aprender a lidar bem com aquilo que antes não tínhamos sabedoria o suficiente é uma linda conquista! Faz bem para o nosso coração perceber as nossas próprias superações. E isso vem de Deus! 
Ele tem prazer em nos ver crescer e participar conosco de cada nova etapa de nossas vidas. O nosso Deus é um Pai perfeito que sempre está por perto, nos ensinando a dar os passos certos na jornada que nos levará a viver os Seus perfeitos sonhos pra nós!
Pois então, aproveite com intensidade cada faixa etária que você passar, pois a vida é um dom de Deus!

"Mesmo na sua velhice, quando tiverem cabelos brancos, sou eu aquele, aquele que os susterá. Eu os fiz e eu os levarei; eu os susterei e eu os salvarei." (Isaías 46:4)

"Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês", diz o Senhor, "planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro."(Jeremias 29:11)

"Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito." (Romanos 8:28)

"Desde o ventre materno dependo de ti; tu me sustentaste desde as entranhas de minha mãe. Eu sempre te louvarei!" (Salmos 71:6)

"Pois nele vivemos, nos movemos e existimos..." (Atos 17:2)

----------

No amor do Pai Celestial de quem sou eternamente dependente,

Suelen Migowski


segunda-feira, 8 de outubro de 2012

O Som do Coração - Qual a trilha sonora da sua vida?


Sou uma pessoa envolvida com música desde muito nova. Lembro-me bem dos meus dedinhos tão pequeninos, tentando fazer força pra tocar aquelas teclas pesadas de piano clássico em minhas primeiras aulas de música, uma experiência bastante diferente da que eu tinha em casa com o meu pianinho de brinquedo.
Na minha paixão e curiosidade pela música, lancei-me em aprender todos os instrumentos que eu tinha oportunidade e via pela frente: teclado, flauta doce, bateria, violão... Todos eram atraentes pra mim. E quando eu não tinha acesso a algum instrumento, me deleitava em cantar, cantar e cantar, em qualquer lugar, a qualquer hora.
A música, pra mim, não se limitava em apenas o que eu escutava nos CDs, no que eu cantava ou executava com os instrumentos. Tudo ao meu redor era música! Se um vento batia em meu rosto, se eu contemplava uma bela paisagem, se algo de bom ou ruim acontecia, se eu lia um texto ou via uma foto... tudo o que me acontecia era interpretado como uma melodia em meu coração. Às vezes um som mais dramático, triste e tenso, às vezes mais suave, alegre e livre. Enfim, minha vida sempre foi envolvida com "trilhas sonoras".
Talvez isso seja mesmo uma característica daqueles que possuem temperamento artístico, que tem a tendência de ser mais melancólico e sensível, de ver a vida pela ótica da poesia. Mas acredito que todas as pessoas possuem um som do coração.
Neste exato momento, enquanto você lê este texto, algum som está sendo entoado em teu ser. Talvez um som atribulado, duvidoso, cético, rígido... Talvez um som preocupado e tenso... Ou talvez um som cheio de ternura, empolgação, esperança, paz e alegria.
Independente de qual seja a "trilha sonora" atual da sua vida, existe uma melodia que sobrepuja todas as outras na beleza, força, verdade, intensidade, harmonia e constância. E essa é a melodia do amor de Deus por nós.
Fomos criados para viver de acordo com esse som. Mas, muitas vezes, em nossa história, passamos por momentos e situações em que a única coisa que escutamos é um som áspero e deprimido, causado pela dureza da vida que volta e meia nos alcança, ou uma ferida feita por alguém que amamos. A vida é dura sim. E nenhum de nós está livre de eventuais tribulações. Mas será que, mesmo assim, ainda é possível viver uma linda trilha sonora que emana esperança, paz, liberdade, contentamento e leveza para os que estão ao nosso redor? É possível viver uma linda harmonia com a vida? A resposta é sim! É exatamente isso que o amor de Deus nos faz.
Essa suprema melodia é capaz de curar o som de qualquer dor e desesperança presente em nosso ser; é capaz de preencher o vazio de uma vida sem sonhos, sem propósitos e sem perspectivas; é capaz de abraçar o que se sente desamparado, encher de coragem e ousadia onde só existe o som do medo e pavor. Sim! Há cura quando escutamos e vivemos o som desse amor! E como fazemos isso? Onde está sendo tocado este maravilhoso som de vida que traz verdadeira liberdade e paz?
Em toda a terra o nosso Criador deixou vestígios de Seu amor. Mas é preciso decidir romper com o barulho agitado da sociedade ao nosso redor pra conseguirmos escutar esse doce som. Não há limites para a revelação dessa melodia de amor. Às vezes, você escutará através de uma linda flor que te inspirou, através de um belo pôr-do-sol, através de um gesto de bondade de um desconhecido, numa gargalhada de criança, num céu estrelado, no nascimento de uma vida, numa deliciosa culinária ou momentos marcantes de comunhão com família e amigos. A música do amor de Deus está sendo entoada por todo canto, e é necessário decidirmos ouvi-la pra deixá-la influenciar o nosso viver.
Quando na vida tivermos que passar pelo som do luto, da tristeza, da angústia, da perda, da desesperança ou traição, existe uma fonte onde podemos nos apegar, uma trilha sonora que nunca vai embora e que pode nos embalar e sustentar em qualquer circunstância, se permitirmos. Essa é a melodia que vem da Cruz! A canção de amor mais linda e perfeita do mundo foi entoada ali, em Jesus, Filho unigênito de Deus que morreu e se entregou em nosso lugar. Por causa da morte Dele podemos viver! E porque Ele venceu a morte, podemos ter esperança em qualquer circunstância. Quando uma pessoa escuta essa canção de salvação, compreende e se rende a ela, a trilha sonora de sua vida muda completamente! A música que vem do amor de Deus, manifestado por nós naquela cruz, é eterna, é constante, é imutável, é inteira, é completa, é capaz de transformar qualquer pranto em festa, é capaz de libertar o que estava escravizado em suas paixões e pecados. É tudo o que precisamos para viver... e viver em abundância!
A canção do amor de Deus está sendo entoada em todo o Universo através das coisas criadas, através de Sua Palavra, a Bíblia, a mais linda carta de amor que alguém poderia escrever pra nós!
Qual tem sido o som do seu coração? Que tipo de trilha sonora você tem vivido e ouvido?
Deus conhece a canção que ansiamos escutar. Ele sabe qual o romance que sonhamos viver. Escute! O Deus que te fez e te ama com amor eterno e leal está cantando pra você!

"Com amor eterno eu te amei; com amor leal eu te atraí."
(Jr 31.3)

domingo, 7 de outubro de 2012

A Melodia da Criação

Sob um vento fresco pela manhã eu estava na beira da lagoa com meu instrumento e um coração sedento. De repente, escuto um som grave e longo de duas cordas sendo tocadas em harmonia. Olho para o lado e surpreendo-me ao descobrir que a responsável por este som era uma folha seca que, ternamente, acabara de cair da árvore.
O meu amado Criador, com coisas tão simples da vida, me inspira poemas e canções de amor por Ele! Obrigada, Senhor!

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Caneta Sem Tinta


Eu estava no meio do texto. Para falar a verdade, estava no ápice da história. Tentei escrever mais uma palavra, mas quase não deu pra ler. Foi quando percebi que a caneta estava falhando.

E agora? O que fazer?

Eu não tinha outra caneta. Eu só tinha aquela. Então eu fiz o que todo mundo faz. Peguei o papel e comecei a riscar pra ver ser a caneta voltava a escrever. Depois de alguns segundos, o resultado: o papel estava amassado e com as marcas dos riscos.

Fiquei pensando nas inúmeras vezes que já me senti assim. Deus escrevendo a minha história através de palavras, musicas, situações, expectativas e de repente... a tinta secou!

Em momentos como esses, quantas vezes me peguei perguntando:

Deus, é assim que termina a minha história? É assim que acaba?

Daí Deus vem e começa a escrever tudo de novo, mas a caneta está falhando... está sem tinta. Então é hora do rabisco!

Deus pega a caneta e começa a riscar o papel. O papel sou EU. A caneta são as situações, as lutas, as dificuldades, os momentos de incertezas.

Talvez você se sinta assim. Como um papel nas mãos do Escritor, a tinta acabou e a caneta tem te pressionado. Um rabisco atrás do outro. Quanto mais ele se esforça, mais amassado você fica. Quanto mais o escritor aperta, mais marcas você ganha.
“Até quando, Deus? Até quando você vai me rabiscar? Até quando vai pressionar a sua caneta sobre mim?”

Enquanto eu forçava a caneta sobre o papel, um pensamento me veio à mente. Na verdade, é um pensamento de Deus pra mim e para todos os “papéis amassados”:

A TINTA NÃO SECOU! A HISTÓRIA AINDA NÃO ACABOU.

Não importa o quão amassado ou pressionado você esteja. Creia! A tinta de Deus não acabou.

Se Ele ainda insisti em forçar a caneta sobre o papel é porque ele acredita que ainda tem tinta. E se tem tinta, tem história!

Quer um conselho? Não desanime! Continue firme. Deixe Deus forçar, amassar, riscar e rabiscar!

Ainda tem tinta na caneta de Deus e Ele vai continuar escrevendo a sua história...

Por Robson Santana

segunda-feira, 11 de junho de 2012

O Longo Silêncio



No fim dos tempos, bilhões de pessoas estavam espalhadas numa grande planície perante o trono de Deus.
A maioria fugia da luz brilhante que se lhes apresentava pela frente.
Mas alguns grupos falavam animadamente:
"Pode Deus julgar-nos? Como pode Ele saber acerca do sofrimento?", perguntou uma impertinente jovem de cabelos negros. Ela rasgou a manga da blusa e mostrou um número que lhe fora tatuado num acampamento de concentração nazista. "Nós suportamos terror... espancamentos... tortura... morte!"
Em outro grupo um rapaz negro abaixou o colarinho. "E que dizer disto?" exigiu ele, mostrando um horrível queimadura de corda. "Linchado... só pelo fato de ser negro!"
Em outra multidão, uma colegial grávida, de olhos malcriados: "Por que devo sofrer?", murmurou ela. "Não foi culpa minha."
Por toda planície havia centenas de grupos como esses. Cada um deles tinha uma reclamação contra Deus por causa do mal e do sofrimento que Ele havia permitido no seu mundo. Quão feliz era Deus por viver no céu onde tudo era doçura e luz, onde não havia choro nem medo, nem fome nem ódio. O que sabia Deus acerca de tudo o que o homem fora forçado a suportar neste mundo? Pois Deus leva uma vida muito protegida, diziam.
De modo que cada um desses grupos enviou o seu líder, escolhido por ter sido o que mais sofreu. Um judeu, um negro, uma pessoa de Hiroshima, um artrítico horrivelmente deformado, uma criança talidomídica. No centro da planície tomaram conselho uns com os outros. Finalmente estavam prontos para apresentar o seu caso.
Antes que pudesse qualificar-se para ser juiz deles, Deus deve suportar o que suportaram. A decisão deles foi que Deus devia ser sentenciado a viver na terra - como homem!
"Que Ele nasça judeu, pobre e longe de casa. Que haja dúvida acerca da legitimidade de seu nascimento. Dêem-lhe um trabalho tão difícil que, ao tentar realizá-lo, até mesmo sua família pensará que Ele está louco. Que seja traído por um amigo íntimo. Que Ele enfrente acusações falsas, seja julgado por um júri preconceituoso, e condenado por um juiz covarde. Que Ele seja torturado.
"Finalmente, que Ele conheça o terrível sentimento de estar sozinho. Então que Ele morra de tal forma que não haja dúvida de que morreu. Que haja uma grande multidão de testemunhas que o comprove."
E quando o último acabou de pronunciar a sentença, houve um longo silêncio. Ninguém proferiu palavras. Ninguém se moveu. Pois, de súbito, todos sabiam que Deus já havia cumprido a sua sentença.

(desconheço o autor)


terça-feira, 29 de maio de 2012

Um Lírio de Papel

Quantas são as maneiras de Deus nos cortejar, nos surpreender, nos revelar Seu amor e ternura através das coisas mais simples do nosso dia-a-dia? Infinitas são essas maneiras!
Eu tenho algo muito particular com Deus desde pequena. Sempre fui uma menina que amava romance e ternura, gestos simples de carinho e atenção, palavras doces de afirmação... Fui criada por Ele assim!
Não é preciso muito pra Deus me fazer sentir amada e querida. Às vezes basta um vento em meu rosto, um lindo pôr-do-sol, assistir o sol nascer, ver crianças rindo e brincando, ouvir o canto de um passarinho, sentir o cheiro de uma flor, receber um abraço espontâneo e "sem motivo", um sorriso, um olhar ou gesto de ternura, palavras doces de afirmação, um presente inesperado, uma mensagem no celular... ou até mesmo um lírio de papel.
Cheguei ontem na Igreja, num dia daqueles em que a alma está meio abatida, coração carente, desejando um amparo especial de Deus. Ao chegar em minha mesa, deparei-me com um papel diferente... Era o desenho de um lírio, feito por uma criança. Li o que estava escrito e emocionei-me: "Oi você me disse que você gosta de lírio então eu tive a ideia de dar para você. De: Paula". Lembrei-me que tinha mesmo contado pra ela, numa conversa rápida de corredor, de que lírio era a minha flor favorita. Aliás, um dos significados que derivou o meu nome (Suelen) é Lírio Gracioso. Eu havia me esquecido disso, mas ela não. Ela guardou o que eu disse e teve o carinho e atenção de fazer um lindo desenho de lírio pra mim! Meus olhos se encheram de lágrimas, pois senti que o próprio Deus estava me abraçando naquela manhã de segunda-feira, revelando Seu amor e ternura através dessa criança.
Quantas vezes achamos que Deus se esquece de certas coisas que fazemos pra Ele, ou dizemos em nossas orações e canções, aquilo que desabafamos com lágrimas no secreto do quarto, às vezes durante uma noite inteira. Achamos que Ele se esquece dos sonhos de criança, ou não se importa com os mimos do nosso coração, como por exemplo um gosto especial por lírios. Mas, na verdade, Deus sabe de tudo isso e muito mais! Ele conhece muito bem o que nos deixa tristes ou felizes, o que nos faz sentir-nos rejeitados ou amparados, o que sonhamos e ansiamos viver em nossa área profissional, ministerial, familiar, social ou sentimental. Ele sabe o que desejamos ser como pessoas. Ele conhece plenamente o que mais gosto de fazer nos tempos livres, qual o meu livro favorito, a canção que me faz chorar, minha cor preferida, o que faz o meu coração suspirar, o que me tranquiliza e o que me agita, o que me faz perder a paciência... sim, Ele sabe. Ele conhece muito bem. E mais do que isso: Ele se importa!
Eu aprendi algo muito precioso com Deus durante a minha caminhada com Ele até aqui. Descobri que Ele deixou vestígios de Seu amor e caráter por todo lado. Estamos cercados por revelações de Sua glória!!! Basta andarmos atentos, sensíveis à vida, às pessoas, à criação, à tudo o que acontece ao nosso redor... veremos Sua mão em tudo! Os meus encontros mais preciosos e marcantes com a presença de Deus não foram em um culto na Igreja, apesar de que certas revelações do Pai só acontecem quando Sua Igreja está reunida. Mas o que me preenche e me dá razão de viver cada dia é quando estou lavando louça e escuto Jesus falar comigo; é quando estou dirigindo e começo a chorar por sentir Sua presença ali; é quando estou caminhando no supermercado, ou shopping, ou padaria e vejo a mão e benção de Deus em tudo o que contemplo ao meu redor; é quando escuto as risadas da minha irmãzinha que brinca no quintal; é quando escuto uma canção que não conhecia e que veio no momento certo, trazendo o consolo de direção de que precisava; é quando canto, toco um instrumento, escrevo um texto ou um poema, jogo futebol ou pinto um quadro... coisas que gosto muito de fazer!
É como costumo dizer: não há um centímetro quadrado se quer em todo o universo que esteja fora dos limites da presença de Deus!

"... E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos!" (Mt 28:20)

Em todo o tempo, em tudo o que eu vejo, em tudo o que me acontece... Deus está, eu sei... Deus está! Até mesmo num lírio de papel.



quinta-feira, 17 de maio de 2012

Além das Nuvens

Em minha cidade estamos numa época de bastante frio e chuva. Os dias são característicos por uma paisagem cinzenta e céu escuro, frio e muita umidade.
Confesso que tenho a tendência de ter o meu humor influenciado pela cor do dia. Quando está nublado, fico meio down, desejando só estar em casa debaixo das cobertas sem fazer nada muito sério. Sou a única?! (risos). Mas quando o dia está resplandecente, naquele céu azul e sol brilhante, minha sensação é de sair de casa como uma criança saltitante, empolgada pela aventura que me espera no dia.

Refleti muito sobre isso no fim da tarde de ontem, quando estava no trânsito e observei o mesmo céu fechado de nuvens, com chuva caindo, mas com uma diferença: havia uma boa parte do céu que as nuvens estavam mais brilhantes, como se não fossem grossas o suficiente pra esconder os vestígios do sol que existia acima delas. Pude contemplar um lindo pôr-do-sol, sem nem mesmo vê-lo.

Essa experiência, por alguns segundos, me fez pensar sobre a esperança pela qual vivemos. Muitas vezes as nossas circunstâncias são tão "cinzentas", e nos cobrem por tanto tempo, que até nos esquecemos por um momento de que o "sol" ainda está lá. Ele não foi embora, apesar de estar escondido.

Penso que a nossa esperança em Cristo é ativada dessa mesma maneira: pela fé. A fé me faz ver que o sol não deixou de brilhar, mesmo em meio à escuridão. Ela me faz continuar caminhando, lutando e acreditando, apesar do desânimo de ver tudo cinza ao meu redor, pois mais cedo ou mais tarde, sei que vou vê-lo brilhando em sua força total outra vez!

É tão consolador pra nós saber que a presença de Deus nunca vai embora, nunca deixa de brilhar... mesmo que às vezes pareça (só pareça) frio e distante. Ele é o mesmo sempre, nos aquece e abraça em todas as circunstâncias. Ele é a fonte da nossa vida!

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Uma Tarde na Lagoa ...


Queria que todos os meus dias fossem assim... tão intensos, inspiradores, marcantes e livres! Essa foi uma das tardes mais preciosas da minha vida... um encontro com o Amado da minha alma!

Eu não acordei naquela sexta-feira de outono planejando ter aquele momento. Apenas aconteceu. Trabalhei no período da manhã, e depois do almoço, fui de carro fazer algumas coisas à pedido da minha mãe.
Depois de terminar tudo o que eu tinha pra fazer, veio-me a ideia de parar um tempinho no meu lugar favorito desde a infância: A LAGOA.

Eu sabia que o meu violão estava no porta-malas, mas a princípio, não tive vontade de pegá-lo. Não queria tocar, nem compor, nem ler algum livro inspirador... nada o que produzir. Queria tão somente estar... estar com Ele, estar em Sua presença, conversar e me entregar em adoração sem me render à tentação de que precisava fazer algo para atraí-Lo ou ser aceita. Eu já era aceita e Ele já estava ali, pronto à me esperar para uma conversa franca "olho-no-olho" e sem reservas ou constrangimentos. Afinal, não havia nada que eu pudesse esconder Dele. Eu estava totalmente exposta aos Seus olhos. Eu sabia que estava diante daquele que me sondava e conhecia o mais profundo da minha essência. 

Sentei-me no banco, de frente para uma paisagem linda composta de árvores, pinheiros, garças, vento de outono em meu rosto, com um sol amarelo-alaranjado sobre todo aquele cenário que tirava vários suspiros de mim! Senti-me tão à vontade e encantada com Ele que nem liguei para as pessoas que volta e meia passava ali por perto.

Depois de um tempo, veio-me o desejo de pegar meu violão no carro e entoar alguma canção que fizesse sentido com o que estava acontecendo. Comecei a dedilhar algumas notinhas, sem deixar de escutar a música da criação. Eu estava numa verdadeira orquestra! As árvores no seu balanço sorridente, os pássaros em seu canto desprendido, as águas dançando com o vento... Tudo muito harmonioso e apaixonado para o Criador! Pude contemplar o Seu sorriso e sentir o Seu prazer em nós! O universo estava se alegrando e exaltando o Autor da Vida, afinal, todos existimos porque Ele desejou a nossa existência! Era impossível não reconhecer os vestígios de Seu amor por todo lado!

Palavras espontâneas do meu coração pra Ele começaram a surgir, até interligar com uma canção conhecida, que diz: "Estarei com mãos levantadas pra Te louvar, pois Tu deste tudo a mim! Meu ser, a Ti, ó Senhor, se rende... Tudo o que sou é Teu!". O que começou com um sussurro foi aumentando de intensidade... Até que percebi uma jovem moça sentada no banco ao lado, com uma criança. Na olhada rápida que dei, percebi que ela estava atenta à canção. Continuei tocando e cantando, como se estivesse no lugar mais secreto do mundo!

Passou-se um tempo e comecei a ouvir passos atrás de mim. O barulho das folhas secas denunciavam alguém vindo em minha direção. Virei-me e disse: "Oi!"... Era a mesma moça que estava no banco ao lado momentos antes. Encantei-me com o sorriso da criança que chegou primeiro perto de mim, e logo olhei para o semblante terno e gracioso da jovem moça que inclinou-se em meu banco e disse: "Tudo o que Deus te faz é bom!". E então virou-se outra vez em direção à sua bicicleta que havia deixado parada na rua, pegou a mão da criança e foi embora. Nada mais.

Aquela frase ficou ressoando dentro de mim: "Tudo o que Deus te faz é bom!" ,"Tudo o que Deus te faz é bom!". Eu não tive reação além de soltar um "Aleluia!". Continuei seguindo a moça com meus olhos até ela se distanciar enquanto pedalava. Virei-me outra vez para a lagoa e comecei a chorar copiosamente. "Deus, o que foi isso? O que foi isso?"... Não estava me aguentando de tanta alegria e emoção! De repente a maior verdade do universo fez sentido pra mim: "Ele é o Deus que me vê! Ele é Emanuel... Deus conosco! Deus comigo!!!". Até pensei no que pudesse significar as simples palavras "Tudo o que Deus te faz é bom!", se por acaso era uma profecia ou um consolo... Se era uma palavra específica de revelação do Pai para mim sobre alguma situação que eu iria viver. Mas o que realmente me marcou não foram essas palavras em si, mas sim o que significou pra mim a atitude do Soberano em me enviar uma desconhecida, só para me mostrar que Ele estava me vendo e recebendo o que eu fazia ali pra Ele!

Não consigo mensurar a importância e profundidade que essa experiência significou pra mim! Mas decidi tentar compartilhar através da escrita, pois sei que muitos passam pela crise de se questionar se Deus está indiferente à sua vida e circunstâncias. Ás vezes passamos por dias que parecem mais "noites escuras da alma", nos sentimos sós, como se Deus não se importasse ou estivesse ocupado demais para ouvir o nosso clamor. Mas o Soberano não é assim! Veja:

Senhor, tu me sondas e me conheces.
Sabes quando me sento e quando me levanto; de longe percebes os meus pensamentos.
Sabes muito bem quando trabalho e quando descanso; todos os meus caminhos te são bem conhecidos.
Antes mesmo que a palavra me chegue à língua, tu já a conheces inteiramente, Senhor.
Tu me cercas, por trás e pela frente, e pões a tua mão sobre mim.
Tal conhecimento é maravilhoso demais e está além do meu alcance, é tão elevado que não o posso atingir.
Para onde poderia eu escapar do teu Espírito? Para onde poderia fugir da tua presença?
Se eu subir aos céus, lá estás; se eu fizer a minha cama na sepultura, também lá estás.
Se eu subir com as asas da alvorada e morar na extremidade do mar,
mesmo ali a tua mão direita me guiará e me susterá.
Mesmo que eu dissesse que as trevas me encobrirão, e que a luz se tornará noite ao meu redor,
verei que nem as trevas são escuras para ti. A noite brilhará como o dia, pois para ti as trevas são luz.
Tu criaste o íntimo do meu ser e me teceste no ventre de minha mãe.

Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável. Tuas obras são maravilhosas! Disso tenho plena certeza.
Meus ossos não estavam escondidos de ti quando em secreto fui formado e entretecido como nas profundezas da terra.
Os teus olhos viram o meu embrião; todos os dias determinados para mim foram escritos no teu livro antes de qualquer deles existir.
Como são preciosos para mim os teus pensamentos, ó Deus! Como é grande a soma deles!
Se eu os contasse seriam mais do que os grãos de areia. Se terminasse de contá-los, eu ainda estaria contigo. 
(Salmos 139:1-18)



Essa canção tem sido a trilha sonora da minha vida há um tempo. Nunca posso me esquecer que Ele está comigo, e que nunca me deixa sozinha em minhas lutas! E o mais precioso: não posso me esquecer que Ele ama me ouvir cantar!!!

Saiba, querido leitor: Deus te conhece, te vê, e está contigo neste exato momento. Ele ama tudo o que você faz pra Ele! Receba o Seu amor que lança fora todo o medo e ansiedades desta vida, para viver a abundante graça que Ele proporcionou a nós: a Sua presença constante!

Em Jesus,

Suelen Migowski

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Maravilhosa Cruz


Através do livro “A Cruz de Cristo” de John Stott, tive a oportunidade de conhecer algumas facetas do cristianismo na história, assim como o significado da cruz em determinadas épocas e gerações. De fato, desde os primeiros séculos, depois da ascensão de Cristo ao céu, existiram sempre dois grupos: os que compreenderam a cruz e se gloriaram nela, e aqueles que não entenderam e distorceram o seu significado.

A verdade é que a religião constituída pelo homem é totalmente oposta à mensagem da cruz. Enquanto uma prega que é preciso nos esforçarmos para sermos aceitos e dignos diante do Deus santo, a cruz revela que tudo já foi consumado em Jesus. Por causa Dele, já fomos aceitos com prazer pelo Pai em Sua presença!
Tive a oportunidade de conhecer diversas igrejas do Brasil, e pude perceber o quanto muitas delas ainda vivem debaixo de uma tensão, como se a cruz não tivesse sido suficiente. Se esforçam para agradar a Deus com suas próprias forças e caminhos, lutando diariamente com um sentimento de culpa e indignidade, pois nada do que fazem, por mais certinho e religioso que possa ser, é capaz de dar uma consciência limpa e livre.

Lembro-me bem do sentimento que eu tinha quando era criança... Uma sensação de medo sobre tudo o que dissesse respeito a Deus. Até que um dia tive meu encontro pessoal com Jesus, lá para os meus 9 ou 10 anos. Foi uma experiência incrível, sozinha no meu quarto, através de um pequeno livro que falava sobre o que era ser um verdadeiro cristão. A partir daquele dia, descobri que existia algo na presença de Deus que fazia com que tudo mais perdesse a importância. Essa presença me transformava, me libertava do sentimento de medo e desamparo. Foi então que começou uma linda e obstinada jornada em minha vida de busca por Deus. Eu queria conhecê-lo mais, queria saber agradá-lo. Eu tinha uma motivação verdadeira em tudo o que eu fazia, apesar de ainda sofrer com sentimentos de culpa, peso e indignidade perante Sua santidade. Creio que o Pai reconhece quando um coração é verdadeiro em buscá-lo. E mesmo que a pessoa ainda possua pensamentos distorcidos a Seu respeito, Ele se revela, se deixa descobrir, se derrama cada vez mais sobre esses seus pequeninos sedentos que O buscam de todo o coração. Foi o que aconteceu comigo! Durante essa minha busca, fui conhecendo o amor de Deus, Sua graça, até enfim ter um encontro forte e definitivo com a cruz. Foi um processo longo, que está durando até hoje... mas que mudou a minha vida pra sempre! Finalmente compreendi o que Jesus fez por mim. Entendi que o véu do templo se rasgou no momento exato em que Jesus morreu, revelando para todas as gerações que o caminho para o Santo dos Santos estava aberto, livre para todos nós! Agora poderíamos servir a Deus sem medo, pelo novo modo do Espírito, como diz em Romanos 7.6: Mas agora, morrendo para aquilo que antes nos prendia, fomos libertados da lei, para que sirvamos conforme o novo modo do Espírito, e não segundo a velha forma da lei escrita.

Vejo que a Igreja brasileira precisa receber de uma forma ainda mais profunda a revelação da cruz. É preciso que cada cristão tenha um encontro pessoal com ela, algo que nenhuma teologia pode descrever. Pois ainda há muitos que estão vivendo debaixo de uma opressão de satanás, sofismas e mentiras que trazem culpa, condenação, peso, medo, sentimento de orfandade e indignidade. Creio que essa é a maior e mais eficaz estratégia do inimigo para abater um filho de Deus: acusando-o. E se a Igreja de Cristo não tiver uma base firme de conhecimento da cruz, ela sempre estará fraca e vulnerável às acusações de satanás.

O que mais precisamos nas igrejas brasileiras é de líderes marcados pela cruz, não só na questão de compreender a graça do perdão, da substituição e do amor incomparável demonstrado ali por nós, mas também na questão da auto negação e renúncia. A mensagem da cruz também nos remete a necessidade de negarmos a nós mesmos, assim como Cristo se negou para fazer a vontade do Pai. Seguir Jesus significa, acima de tudo, ser crucificado com Ele. Essa é a morte do eu; é a aniquilação da nossa natureza pecaminosa. É impossível alguém ser discípulo de Cristo sem querer crucificar sua velha natureza. Assim, apenas alguém marcado pela cruz, que sabe o que é morrer pra si mesmo e para o mundo a fim de viver inteiramente para Deus, pode pregar a cruz. A Igreja precisa ser levada a esse entendimento de que não estamos aqui para fazer a nossa vontade, mas sim vivermos para Aquele que nos amou e se entregou por nós! Pois se participamos de Sua morte e de Seus sofrimentos, também participaremos de Sua glória! Glória essa que jamais se penetrou em mente humana! Aleluia!!!

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Testemunho da música "Marcas de Amor"


Quando o sol parece não surgir de manhã
E a tempestade a me confundir
Eu sei em quem eu posso me apegar

Jesus trocou a voz de pranto em linda canção
Minha sede interior saciou
E sei que nunca mais eu serei a mesma

As marcas de amor que deixaste em meu ser
São bem mais profundas
Do que as marcas de dor que a vida insiste tentar
Deixar em mim

Minha esperança está em Ti!

(por Suelen Migowski
em 07/01/2012)

Peguei-me num momento em minha vida onde fiquei vários dias questionando a Deus em meu coração do por quê a vida tinha que ser tão dura. Por que eu tinha que passar por certas dores, dificuldades e aflições? Por que o Senhor, sendo Todo Poderoso, não podia aliviar e fazer com que tudo ficasse bem?
Então, num belo dia, sem esperar, surpreendi-me quando escutei Ele sussurrando claramente em meu coração: "Filha, as marcas de amor que deixei em você são mais profundas do que as marcas de dor que a vida tenta deixar em você todo dia."

Fiquei extasiada! Parei por um instante pra tentar absorver aquelas palavras tão profundas. Um filme da minha vida começou a passar em minha mente. Lembrei-me de cenas da infância, adolescência e até de quando eu era bebê. Lembrei-me de situações específicas onde fui marcada pelo Seu amor e cuidado, que me curaram, que me consolaram em momentos difíceis, que me deram esperança em meio ao caos e que me conduziram vitoriosamente até aqui. Em seguida lembrei-me da vida de Jesus enquanto esteve na terra... Cenas de Seu sofrimento, renúncia, sacrifício e morte... "Tudo isso por mim!", concluí. E continuei refletindo: "Minhas dores não chegam aos pés do que Ele passou... E se Ele venceu, eu também vencerei!".
Lancei-me para viver aquele dia com o meu ânimo e esperança renovadas, e sabia em meu coração que aquela frase, aquela ministração do Pai em meu coração, ainda viraria uma música.

Pouco tempo depois, num dia qualquer, senti que havia chegado a hora dessa canção nascer. Parei tudo, fechei a porta do meu quarto, peguei meu violão e comecei a orar, pedindo ao Senhor que me desse as palavras certas e melodia que Ele queria.

Poucas músicas nascem de forma tão natural e rápida como essa. Foi como um beijo do céu! Quando tudo terminou, cantei-a outra vez... pra Ele! E pensei: "Obrigada, Deus, agora tenho esse lindo memorial para renovar a minha esperança toda a vez que o sol parecer não surgir e a tempestade tentar me confundir!".

Mas a história não parou por aí.
Senti o desejo de compartilhá-la com dois amigos muito queridos e companheiros de ministério que sempre me incentivam muito: Nádia Cardoso e Robson Santana - grandes exemplos pra mim de verdadeiros adoradores!
Naquela semana eu estava auxiliando o Rob nas músicas do Auto, e estava até com o objetivo de compor algumas específicas para esse musical de Páscoa. Mas quando compartilhei "Marcas de Amor" com eles, deixei bem claro que não havia composto pensando no Auto, mas era algo pessoal do meu relacionamento com Deus.
A Nádia respondeu: "Não tenho certeza de que não tem a ver com o Auto...". E então, uns dias depois, o Robson me deu a notícia que eles queriam essa canção fazendo parte do Auto de Páscoa.

Na versão original, tinha esse verso:

Meu Salvador na cruz mostrou o seu grande amor
Com dores e aflições se entregou
E hoje sei que como Ele venceu eu vencerei

Precisei adaptar para que a personagem "mulher samaritana" cantasse. Foi quando nasceu o outro verso para o Auto de Páscoa:

Jesus trocou a voz de pranto em linda canção
Minha sede interior saciou
E sei que nunca mais eu serei a mesma

Fiquei maravilhada com a maneira com que Deus estava fazendo tudo! Jamais imaginaria que essa canção, nascida de uma experiência tão particular minha, iria servir pra abençoar tanta gente! E poder receber os testemunhos de pessoas que foram consoladas com essa mesma consolação que recebi, me faz levantar um altar de gratidão ao Senhor por tanta graça em nos usar!

Que o Pai continue nos abençoando, fortalecendo e nos conduzindo em nossas batalhas pessoais, pois nenhuma dor ou tribulação será mais forte do que o Seu amor por nós! E podemos ter a certeza de que, assim como Ele venceu, nós venceremos!

No amor infalível do Mestre,

Suelen Migowski

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Encontre Deus na Rotina

Lembro-me de já ter escrito textos, músicas e poemas sobre Jesus ser a fonte da nossa vida em cada instante; sobre Ele ser a nossa satisfação; de podermos experimentar Sua presença momento a momento. Mas e quando a vida está surpreendentemente agitada e corrida? Será que é possível viver tal serenidade e paz característica de alguém que está interiormente sendo renovado dia após dia, apesar do desgaste físico e mental?

Eu costumava ter uma vida tranquila, até pelo menos o terceiro ano do segundo grau. Movida pelo meu temperamento melancólico, gostava de ficar horas e horas em contemplação e meditação, pensando na vida, no meu futuro, nos meus sonhos, nas palavras que Deus havia proferido sobre mim. Às vezes isso acontecia através de um livro, de uma música, ou simplesmente conversando com Jesus de frente para uma bela paisagem.
Eu podia esquecer qualquer coisa que eu estivesse fazendo quando percebia algum vislumbre da beleza de Deus ao meu redor. Todo o meu ser suspirava pelo Belo. Terno. Delicado. Sensível. Irresistível. Jesus era assim pra mim!
Eu fugia de qualquer tipo de agitação ou confusão que tentasse ofuscar essa minha visão Dele. Não gostava da correria ou ativismo. Na verdade, eu condenava tudo isso e fazia de tudo pra manter longe de mim. Eu amava a solitude. Não queria perder o silêncio. Eu dependia dele pra ouvir Deus e pra me sentir perto Dele.

Mas com o passar dos anos, algumas coisas mudaram consideravelmente a minha rotina. Tudo começou quando fui para o seminário. Meu dia-a-dia era bem cheio de leituras, reuniões, trabalhos, estudos, ensaios, música pra todo lado, barulho, relacionamentos com os amigos de quarto e de turma... Tudo era muito bom sim! Afinal, estava fazendo o que amava e vivendo um grande sonho. E mais do que isso: era o sonho de Deus pra mim! Mas quando se passaram os primeiros meses, onde tudo o que era novo começava a ficar comum, a rotina agitada já não era mais tão empolgante. Peguei-me angustiada, com saudade do silêncio, da calmaria, da vida tranquila. Até que num belo dia, uma professora minha de teologia, mulher de Deus muito sábia, nos deu uma palavra que eu nunca mais esqueci. Ela disse: "Até aqui tem sido muito fácil vocês reconhecerem Deus no dia-a-dia. Tudo é novo! Tudo é lindo! Tudo é atraente e empolgante... e tudo coopera pra vocês O buscarem. Mas daqui a pouco, vocês terão que aprender a reconhecer Jesus na rotina.". Essas palavras foram uma revelação pra mim. O entendimento dessa verdade inaugurou um novo tempo no meu relacionamento com Jesus. Comecei a procurar ouvir a voz de Deus e reconhecer sua presença no meio da agitação, dos muitos afazeres. Comecei a praticar intencionalmente isso.

No ano seguinte fui para o meu prático na África. Que ano cheio! Fiz o que nunca tinha feito antes, numa intensidade e rotina que quase não dava tempo de pensar em mim mesma. No entanto, era impossível não ver a mão de Deus agindo, movendo, nos usando, nos protegendo, nos guiando em cada decisão, trabalho e circunstância. Aos poucos fui entendendo que a presença de Jesus comigo não se limitava apenas ao silêncio... Ele estava presente até mesmo no meio da agitação! Eu podia desfrutar da comunhão com Ele em qualquer dia, hora ou circunstância... fosse na solitude, fosse na rotina corrida.
Comecei a entender que andar com Jesus era muito mais abrangente do que os meus momentos de secreto no quarto. Descobri que Ele tinha interesse em participar de tudo no meu dia. Ele se importava com cada detalhe, até mesmo as tarefas mais ordinárias. Nada era perda de tempo! Vi que não  existia no mundo um metro quadrado se quer que estivesse fora dos limites de Sua presença.

Como fui liberta por essa verdade! Meu andar com Jesus desde então ficou muito mais leve e livre, pois entendi que de fato não há nada que possa me separar Dele... Nem mesmo a minha rotina tem poder pra isso!

Jesus é, e sempre será, maior do que todas as coisas!
Deixe a graça da intimidade com Ele te envolver e te fazer entender que o Seu amor e presença nunca vão embora, aconteça o que acontecer.

Aproveite a terna e graciosa presença de Jesus na sua rotina hoje, pois Ele é uma fonte que nunca acaba!!!

segunda-feira, 26 de março de 2012

Quando a Tua voz se mistura à minha...

Alegrias, dores e ações de graças criam uma sinfonia de emoções quando canto a Ti. Na solidão da noite, entrego em Tuas mãos as preocupações do dia. A Ti confio o presente e o futuro. Tão logo as primeiras notas de louvor sobem ao céu, meu pânico se transforma em paz. Teu cuidado me comove, e por alguns doces instantes, Tua voz se mistura à minha. Escreveste este cântico para me confortar todas as noites. Compartilhaste-o comigo para que eu possa buscar-Te quando palavras não forem suficientes. És o Deus que me dá vida!

(texto tirado da "Minha Pequena Bíblia de Oração")
 

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

A criança dentro de mim


Essa semana tive o privilégio de voltar a levar as minhas irmãs pra escola depois de quase 2 meses de férias. Não digo isso pelo fato de ter que acordar tão cedo (essa é a parte ruim), mas porque elas estudam no bairro onde fui criada até os meus 17 anos, um lugar que me traz muitas lembranças lindas e é o meu ambiente favorito para me encontrar com Deus.
Desde que me entendo por gente, uma das minhas maiores paixões sempre foi estar no meio da natureza, subir em árvores, fazer trilhas, andar descalça na terra e viver grandes aventuras. Na minha imaginação de criança, costumava dizer que queria ser igual o Tarzan: viver na mata, pular de árvore em árvore, comer o que a natureza oferecesse e tomar banho no rio. Graças a Deus tive o privilégio de viver algumas aventuras parecidas nesse bairro que cresci, que é cercado por uma beleza natural incomparável: bosques, lagoas, muitas arvores, animais e bichos distintos.

Se você acompanha o meu blog há um tempo, sabe que gosto muito de me lembrar da minha infância, de escrever sobre ela, de refletir. Acredito que muitas experiências que tive nessa primeira fase da vida, principalmente os sonhos que faziam o meu coraçãozinho suspirar, as coisas da vida que mais em encantavam, com o que eu gastava mais o meu tempo... tudo isso foram apontamentos do que eu viria a ser em Deus, dos propósitos que Ele tinha pra mim.
Volta e meia o Senhor me dá uma lição, palavra, direção ou consolo através de certas lembranças da Suelen criança. Hoje mesmo pela manhã vivi isso.

Apesar de ter recebido tanta graça de Deus durante a minha história, de ter compreendido que o Seu amor vai além do que eu possa fazer ou deixar de fazer, em alguns momentos ainda me pego debaixo de uma pressão do desempenho pessoal. Pensamentos de inadequação e frustração comigo mesma ainda invadem minha mente algumas vezes, me fazendo agir como se eu precisasse me esforçar para ser aceita por Deus.
Fui dormir assim ontem. E acordei hoje travando essa luta em meu interior.
Depois de levar a minha irmã caçula pra escola, passei num lugar que fazia muito tempo eu não passava, mas que minhas lembranças de criança conheciam muito bem.
Foi muito rápido. Apenas um vislumbre. Olhei em direção a uma paisagem formada de árvores, plantas, arbustos, raios de sol cortando as folhas e fazendo o orvalho brilhar como cristal. Tudo em harmonia com aquela brisa fresca e nova da manhã que eu sentia em minha pele. Por apenas aquele instante, parecia que meu coração de 23 anos estava sendo trocado pelo coração da Suelen criança, talvez uns 9 anos. Me vi andando naquele jardim de mãos dadas com Jesus, do jeitinho que eu gostava de imaginar - "Tudo está bem. Ele está aqui comigo. Não há nada pra me preocupar." Em poucos segundos fui invadida por um encantamento com a vida e sonhos se renovando dentro de mim, trazendo em meus olhos um brilho característico de fé e ternura, me fazendo receber a maravilhosa libertação da graça de Jesus.
Era uma daquelas contemplações silenciosas, mas onde tudo é dito, sabe? Em menos de um minuto recebi tantas palavras do Pai que sugaram as ansiedades, preocupações e pressões que eu estava sentindo. Percebi que Ele estava restaurando certas coisas, sonhos, que Ele havia me dado quando criança, e que eu havia deixado se perder com o passar dos anos.

Nós até podemos nos esquecer, mas Deus nunca esquece! Ele nunca se esquece do porquê nos criou. Nunca esquece os propósitos para os quais Ele nos fez nascer. Nunca esquece os sonhos que Ele mesmo plantou em nosso coração infantil, pra que fosse desenvolvido e crescesse juntamente conosco.
Acredito de todo o meu coração que sonhos são para ser vividos sim. Quando algum deles é enterrado, é como um capítulo importante de um livro sendo rasgado - alguém até poderá ler a história, mas algo não fará sentido, algo estará faltando.

Gosto de me lembrar da Suelen criança que não tinha medo de sonhar, pois ela inspira a Suelen adulta a continuar firme, a despeito das circunstâncias; a continuar sonhando e acreditando, pois seja num deserto ou num belo jardim, Jesus está andando de mãos dadas comigo. Sim, aquelas mãos carinhosas e olhar repleto de ternura me convencem: "Está tudo bem. Ele está aqui comigo. Não há nada pra me preocupar."

Não há limites para se sonhar. E também não há limites para se viver a sua concretização. Pois o nosso Grande Doador de Sonhos nos garante:

"Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, e nem sequer se penetrou em mente humana o que Deus tem preparado par aqueles que o amam!" (1Co 2.9)

Quero ser uma eterna criança sonhadora, espontânea e totalmente dependente do Pai!
Tu sempre serás o Artista. E eu, a Composição, Jesus!

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

A Espiritualidade e a minha Humanidade



Quando se fala de “espiritualidade”, qual a primeira imagem ou conceito que vem à mente? Lembro bem da minha adolescência... A maneira como eu costumava me relacionar com Deus. Eu pedia que Ele fizesse de mim uma pessoa super-espiritual, e me esforçava o máximo pra que isso acontecesse. Eu queria ter algo diferente de Deus na minha vida, algo que todos ao meu redor percebessem. Queria que alguém, quando apenas olhasse pra mim, fosse constrangido com tamanha presença de Deus. Isso ocorria porque na minha cabeça uma pessoa espiritual era quase um zumbi, alguém de outro mundo, intocável pelas coisas terrenas e humanas. Mas com o passar dos anos, de acordo com que eu ia crescendo e aprendendo mais de Cristo, aprendi também algumas lições valiosas a respeito da simplicidade do Evangelho e, naturalmente, a simplicidade da verdadeira espiritualidade.
Quanto mais me relacionava com Jesus e procurava conhecê-lo, mais entendia o quanto Ele era simples, e o quanto andar com Ele podia ser tão natural, constante, prazeroso e espontâneo como uma criança que anda pela calçada dando pulinhos de alegria e sorrisos enquanto conversa com o papai. Aos poucos, fui me despindo (até hoje) da religiosidade que eu nem sabia existir em mim, e que era uma grande barreira para a verdadeira espiritualidade que eu tanto buscava.

O tempo em missões na África que Deus me proporcionou foi essencial para estabelecer em meu ser uma linda verdade sobre a minha relação com Ele: a verdadeira espiritualidade tem tudo a ver com a minha humanidade!
Aprendi com o povo africano de uma forma muito profunda o quanto Jesus participa da nossa realidade. Ele está sempre conosco, em nossa rotina. Ele sabe muito bem o que é ter os pés sujos de poeira, sabe o que é passar fome e sede, sabe o que é estar exausto depois de um dia todo trabalhando debaixo de um sol ardente. Ele se identifica com tudo o que diz respeito a nós. Jesus sempre demonstrou tamanha simplicidade e humanidade em todo o Seu agir, falar e ensinar. Quem diria ser possível comer um peixinho assado na beira da praia com o Deus encarnado, hein? Os discípulos que o digam! Acontece que, com o passar dos anos, muitas vezes deixamos essa simplicidade e pureza ir embora da nossa espiritualidade. E juntamente com a idade adulta, vem o racionalismo e orgulho que nos roubam o encanto. Jesus falou que seria preciso nos tornar como crianças para entrarmos no Reino de Deus. Por que será?

Quando leio os Evangelhos percebo que o que mais chamava a atenção de Jesus era a fé das pessoas. Ele parava tudo quando via algum coração cheio de fé. As crianças são assim! Não há nada impossível na mente delas. Elas são capazes de correrem grandes perigos com muita alegria, porque acreditam que tudo ficará bem. E quando se trata da relação delas com Jesus, ao orarem, creem de todo o coração que Ele está ouvindo e sabem que vai acontecer o que pediram. Elas não têm a intenção de fazer coisas pra serem mais amadas, elas apenas sabem que Deus as ama, porque alguém disse. E isso é suficiente.

Creio que a verdadeira espiritualidade – aquela onde Jesus é o centro, o foco e a razão – não é essa coisa complexa e distante como muitas vezes ouvimos ou lemos nos livros. Não é também o que a religião prega. Mas é simplesmente um relacionamento de amor e afeto com Jesus! É algo espontâneo e verdadeiro como uma criança. É um estilo de vida de alguém que tem a certeza de ser lavado pelo sangue de Cristo; de alguém que tem a segurança de pertencer a um Deus que é incansável em amar; de alguém que é livre, pois foi perdoado e não carrega mais nenhuma condenação sobre si!

Todos nós, em algum momento da vida (ou vários), precisamos fazer um caminho de volta. Os anos passam e com eles às vezes deixamos o que era vital passar. Ás vezes será preciso deixarmos de ser adultos demais na nossa relação com Jesus e voltarmos a ser crianças! Isso não quer dizer ser infantil. Mas simplesmente resgatar aquelas características da qual Jesus falou que precisávamos para entrar no Reino, para ver o Reino, pra nos movermos de acordo com o Reino.

A espiritualidade cristocêntrica não é feita de regras religiosas que nos oprimem. A espiritualidade que se centraliza em Jesus nos liberta, nos torna mais humanos e acessíveis às pessoas. Ela não nos exclui do mundo, mas nos ensina a nos relacionarmos com ele.


Foi esse o exemplo que o Mestre nos deixou!

domingo, 1 de janeiro de 2012

"Aquietai-vos..."


Eu não poderia deixar o primeiro dia desse novo ano passar sem registrar o que está transbordando em meu coração da parte do Pai.
2011 foi o ano mais agitado, frutífero, difícil e ao mesmo tempo gratificante e recompensador da minha vida! Foi um ano onde minha fé e confiança no Senhor foi desafiada até a última instância. E como resultado, tenho experimentado um novo nível no meu relacionamento com Jesus.
Escrevi bem pouco nesse ano que passou, afinal, as mudanças que o Pai estava trazendo em minha vida eram tão intensas que nem conseguia parar pra analisar, absorver, entender e descrever toda a experiência. Estavam além do que as palavras poderiam expressar. Mas vivi os meus dias de 2011 debaixo de uma palavra clara que eu havia recebido do Pai ao retornar da Africa em novembro do 2010: "Filha, você viverá dias em que será muito tentada a achar que eu estou indiferente." E a minha resposta a Ele foi: "Pois então, eu me recuso a acreditar que o Senhor vai estar indiferente." E essa decisão foi o que me sustentou vitoriosamente, um dia de cada vez, em 2011.

Você não sabe a alegria que estou sentido de ter chegado até aqui, caro leitor! É maravilhoso poder celebrar no fim de um ano as vitórias, conquistas e romperes, como alguém que tinha tudo pra desistir, mas perseverou, lutou, continuou e chegou até o fim... não cambaleando como um ferido de guerra, mas celebrando as conquistas em Deus e a fidelidade de Deus em te sustentar. É maravilhoso! A Palavra diz que as leves e momentâneas tribulações que passamos diariamente estão produzindo para nós uma grande glória!!! Aleluia!!!


"Aquietai-vos, e sabei..."


Estou aqui, no primeiro dia desse novo ano, pra falar sobre o caráter do nosso Deus. Pra falar do Seu amor insistente, que não desiste, que não abandona, que sustenta, liberta e cura de todo o medo. Estou aqui pra repassar as palavras de esperança que recebi Dele, de que podemos nos aquietar, acalmar a nossa alma quanto ao amanhã, pois os planos que Ele tem para nós são de paz, e não de mal, para nos dar o futuro que desejamos. Ele tem cada dia de nossas vidas em Suas mãos. Nada, absolutamente nada pode sair de Seu controle!


Diante das típicas ansiedades de uma virada de ano, quero te lembrar das ternas palavras:
“Não se perturbe o vosso coração. Crede em Deus, e também em mim!” (Jo 14.1), “Lancem sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vocês.” (1 Pe 5:7), "Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso.” (Mt 11:28).

Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus.” (Sl 46.10)

A decisão de nos aquietar é essencial pra vermos a nossa vida e tudo o que está ao nosso redor da maneira correta. As ansiedades, tensões e preocupações distorcem a nossa visão. Elas são tão estranhas e desconfortáveis pra nós justamente porque não fomos criados pra essas coisas. Fomos moldados pra sermos totalmente dependentes do nosso Criador e sermos cuidados por Ele! 
Não procure “cuidar” de você mesmo. Renda a sua vida. Entregue os seus dias nas mãos Daquele que tem o seu futuro em Suas mãos. Faça planos sim, mas ciente e descansado no fato de que a resposta certa vem do Soberano!
Ele é fiel pra cumprir cada Palavra, cada promessa feita a nosso respeito!

Nesse novo ano de 2012, saiba que Ele é Deus. E aquiete-se.